A Secretaria Municipal de Saúde confirmou o primeiro caso autóctone de sarampo em Santos, litoral do Estado de São Paulo. A paciente, uma menina de 4 anos, apresentou a doença apesar de ter sido vacinada e mesmo sem ter tido contato direto com o surto detectado no navio MSC Seaview, em que 16 estrangeiros, um passageiro santista e uma servidora da própria secretaria contraíram a doença. Segundo a pasta municipal, a doença foi detectada em amostras analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência do governo estadual.

 

A menina é moradora do bairro do Macuco e estuda na Escola Municipal de Educação Infantil Olívia Fernandes, no bairro Embaré. Ela começou a manifestar os sintomas clássicos da doença – febre, tosse, conjuntivite, coriza e manchas vermelhas – em 26 de fevereiro. O caso foi notificado pela unidade de saúde particular em que a criança foi atendida. A paciente não precisou de internação hospitalar e ficou em isolamento social, sem ir à escola no período da transmissão. A criança não teve sequelas e passa bem.

 

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Fábio Ferraz, ainda não se sabe como a paciente contraiu a doença. “O que a investigação apontou é que ela não teve contato com ninguém que estava no navio. Isso nos levar a crer que, infelizmente, já há circulação do vírus na cidade.”

 

A pasta admitiu também que existem outros casos suspeitos, aguardando o resultado de exames. Segundo Ferraz, no caso da menina, a investigação epidemiológica indicou os locais para a realização dos bloqueios com vacinação, seguindo os protocolos de vigilância. Com a suspeita, foi feito o bloqueio seletivo das pessoas próximas, incluindo familiares. Com a confirmação do caso, foi realizado o bloqueio ampliado nos quarteirões do entorno da residência, o que resultou na vacinação de 227 pessoas. Outras 128, entre alunos, professores e funcionários, foram imunizadas na escola municipal do Embaré.

 

A campanha contra o sarampo também foi ampliada na cidade. Além do público-alvo de 15 a 29 anos, as pessoas das demais faixas etárias podem reforçar a vacinação, independentemente do número de doses já tomado.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Fonte: panoramafarmaceutico.com.br/2019/03/28/santos-registra-primeiro-caso-de-transmissao-autoctone-de-sarampo