Após anunciar prioridade na incorporação ao SUS do remédio para Atrofia Muscular Espinhal, pasta quer tratar apenas crianças com até 7 meses de vida. Ministério se fecha e não explica decisão. Associação de pacientes afirma que limitação vai gerar avalanche de processos na Justiça. “Ninguém vai ficar parado em casa vendo o filho definhar”. Laboratório responsável pelo produto rebate critérios do governo. Medicamento foi aprovado pela Anvisa sem restrições e está liberado para qualquer idade em 13 países.

 

A comemoração durou pouco para quem luta contra a Atrofia Muscular Espinhal. O que seria um avanço substancial no tratamento da doença pelo Sistema Único de Saúde relevou-se uma pegadinha maldosa do Ministério da Saúde.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Fonte: panoramafarmaceutico.com.br/2019/03/27/pegadinha-do-ministerio-da-saude