O setor varejista de São Paulo pretende criar a Frente Parlamentar para Desenvolvimento do Varejo no Estado neste ano. A intenção dos empresá- rios é ter uma participação mais ativa nas políticas públicas voltadas para o segmento.

Até o momento, dos 22 votos de aprovação necessários para a implementação da iniciativa, 15 deputados já se manifestaram favoráveis. Desse modo, o setor considera que a Frente possa ser aprovada ainda este ano e, a partir de 2020, as demandas do varejo em relação à criação de políticas públicas já devem apresentar resolução. De acordo com o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (Fcdlesp), Maurício Stainoff, o varejo paulista, assim como em todo o País, está passando por dificuldades.

“O Brasil não vem crescendo na mesma velocidade que nós esperávamos. Por isso, nós estamos observando uma diminuição na geração de empregos e, consequentemente, um menor consumo”, analisa. Segundo ele, as políticas públicas estão ainda muito distantes das necessidades do setor e estão se desenvolvendo em uma velo- cidade bem menor do que o exigido pelo cenário atual. Em função disso, de acordo com Stainoff, o segmento está em busca de uma maior proximidade com o Poder Público. O objetivo, se- fundo ele, seria ampliar a interação entre as duas pontas, o que beneficiaria a recuperação do varejo paulista.

Além da criação de uma Frente Parlamentar, o setor formulou uma série de propostas para políticas públicas que pretendem negociar com o Poder Publico.

Entre elas está́ a segmentação das decisões de acordo com cada município, uma espécie de regionalização. As medidas públicas seriam formuladas de acordo com a necessidade de cada cidade e não mais considerando o cenário estadual geral.

“Cada região de São Paulo tem uma vocação econômica diferente. Existem cidades mais agropecuárias e outras mais industriais, por exemplo. Por isso, elas precisam ser tratadas de forma diferentes.” O presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), José Cesar da Costa diz que, no cenário atual, o comércio vem demitindo e fechando portas, o que faz com que o setor crie estratégias, incluindo a aproximação com a gestão pública. Ele considera que a aproximação do setor paulista com o Poder Público seja muito importante para o varejo em nível nacional. “Considerando a federação, São Paulo é o maior Estado em termos políticos, econômicos e sociais. Então é muito bom que esses primeiros passos sejam da- dos aqui”, afirma. Segundo Costa, em longo prazo, a intenção é criar Frentes em cada município.

Fonte: SEGS

Fonte: panoramafarmaceutico.com.br/2019/05/21/grupo-suprimed-apresenta-inovacao-na-area-de-polivitaminicos-para-bariatricos