Eles não podem ser comercializados sem prescrição médica. O uso indevido de antibióticos pode ocasionar a resistência antimicrobiana ‑ desenvolvimento de superbactérias capazes de resistir aos efeitos dos tratamentos das doenças. O paciente que tenta comprar o medicamento sem receita coloca em risco a própria saúde. A farmácia que comercializa de maneira ilegal está cometendo um crime. Conforme o farmacêutico Jorge Machado, o profissional consciente vai orientar o paciente a procurar um médico sempre que houver indicativo sobre a necessidade de fazer uso de um antibiótico. “Ele não deve sair vendendo, pois sabe que o uso indiscriminado de um mesmo antibiótico, pode criar uma resistência. Dessa forma com o tempo, esse medicamento deixa de ser eficazes e já não tem efeito”. O uso indevido desse tipo de medicamento, segundo Machado, pode fazer com que a doença evolua e demore mais para ser curada. “O período de tratamento pode variar. Mas em um caso em que o paciente faça o uso por sete dias, mas ele conseguiu comprar o abiótico de maneira irregular e sem saber se era o correto para o caso, ele perde uma semana e neste tempo o quadro de saúde pode agravar”, alerta.

Orientações

O farmacêutico enfatiza que o paciente precisa fazer o tratamento de maneira correta. Ele destaca que a pessoa deve seguir as instruções do médico e do farmacêutico para que obtenha o efeito desejado o mais rápido possível. “Se a recomendação é tomar de 8 em 8 horas é preciso seguir esse horário e não, simplesmente, ingerir três compridos a qualquer hora do dia. A bula sempre traz as informações adicionais, como os possíveis efeitos colaterais, se existe algum tipo de alimento que deve ser evitado, se ele pode ser tomado em jejum, entre outros fatores. No caso de dúvida, o ideal é procurar o médico ou o farmacêutico de confiança.

Fonte: Jornal do Oeste

Fonte: panoramafarmaceutico.com.br/2019/02/22/antibioticos-venda-sem-prescricao-medica-e-crime-e-o-mais-prejudicado-pode-ser-o-paciente